LEVANTAMENTO BÁSICO OU POWERLIFTING

ENTREVISTAS

O gaúcho Gilberto de apenas 23 anos, já coleciona uma série de títulos importantes, apesar da pouca idade.

O gaúcho Gilberto da Silva, de apenas 23 anos, já coleciona uma série de títulos importantes, apesar da pouca idade. Natural de São Francisco, no Rio Grande do Sul, hoje ele treina na academia Olimpus, em Três Coroas. Com 1m75 e pesando 117 quilos, o atleta compete nas categorias pesadas, e vem se destacando no cenário internacional dos esportes de força, com a conquista de um bicampeonato mundial de supino.
Para se ter uma idéia, o currículo do Gilberto inclui bicampeonato gaucho 2005/2006; melhor atleta gaucho junior de powerlifiting 2005 (IPF); tricampeão mercosul de supino 2004/2005/2006 (WABDL); tricampeão brasileiro de supino e terra 2004/2005/2006 (WABDL); campeão sul brasileiro supino 2006, copa telles de supino2006 (ambos pela IPF); sul americano de supino 2005, desafio USA vs Brasil de supino 2006 (ambos pela WABD); Danna classic de supino 2006 (WNPF); bicampeão mundial de supino 2005/2006 (FIB) e campeão gaúcho de supino 2007 (FIB)


(Portal do Ferro) – Gilberto, em apenas dois anos de competição você acumulou um grande número de títulos. A que você atribui isso? Treino, genética, experiência anterior? Como foi sua história esportiva? Praticou outro esporte.
(Gilberto) - Com certeza foi com muito treino. Jogava futebol até os 16 anos, depois comecei com a musculação e não parei mais.

(PF) – Um assunto polêmico: supino X powerlifting. Qual é a sua escolha ou preferência? Acha que são compatíveis ou os supineiros “puros” têm melhor desempenho?

(Gilberto) - Bem gosto muito do powerlifiting, mas preferi me aperfeiçoar no supino. Com certeza treinar para competir só no supino dá ao atleta uma certa vantagem.

(PF) – Vamos falar um pouco da sua vida: como é seu dia-a-dia? Você estuda? Trabalha? Como compatibiliza suas outras atividades com a carreira esportiva?
(Gilberto) - Bom eu tenho minha própria academia em que trabalho e treino.

(PF) – Como sua família, amigos e colegas vêem sua carreira esportiva? Apóiam ou têm restrições?
(Gilberto) - Minha família me apóia, isso eu tenho certeza. Faz eu continuar em um esporte em que a maioria das pessoas não apóiam. Alguns de meus amigos falam para eu parar de levantar tanto peso, pois quem faz força é trator (risos) mas foi o esporte que escolhi e não me arrependo.

(PF) – Como é seu treino e onde você treina? Pode contar um pouco sobre sua equipe?
(Gilberto) - Eu treino na minha própria academia que se chama Olimpus. Na academia meu treino não tem muito segredo. Treino cinco vezes por semana um grupo muscular por dia. Apenas quatro semanas antes dos campeonatos que modifico meus treinos dando mais prioridade para peito ombro e tríceps. Quanto a equipe eu não tenho, a galera aqui não se empolga muito pra treinar pesado. Treino com meu sócio, Marcelo.

(PF) – Como é sua alimentação e suplementação ?
(Gilberto) - Minha alimentação é a base de arroz integral e frango. Tomo bastante whey também e dextrose durante o treino.

(PF) – Gilberto, você participou de eventos organizados por praticamente todas as federações do esporte no Brasil. Como você administra suas relações com toda essa gente que briga entre si?
(Gilberto) - Bom, já participei de todas (IPF, WNPF, WABDL, FIB) na verdade acho muita federação para poucos atletas. É claro que nunca vai haver a unificação de todas, mas seria muito bom realizar um campeonato brasileiro com todas as federações, creio que isso nunca vai acontecer.primeiro por causa das regras e outra que alguns dirigentes não iriam aceitar.

(PF) – Quais foram os momentos mais emocionantes do esporte para você?
(Gilberto) - Com certeza quando fiz a marca de 277kg que sonhava há muito tempo com ela.

(PF) – Como foi para você a repercussão da realização do seu supino de 277kg? Acha que pode lhe ajudar a conseguir patrocínio ou outro tipo de apoio? E entre a comunidade esportiva?
(Gilberto) - Com certeza foi muito boa, apesar de algumas critica creio que com a marca de 277 – a maior marca da América do Sul no supino - abriu algumas portas de apoio e quem sabe um patrocínio.

(PF) – Como você vê a evolução do supino e powerlifting no Brasil? Acha que tem boas chances e vai crescer ou não?
(Gilberto) - Sim, com certeza o próprio supino teve uma grande evolução há três anos. Quando comecei a competir eram poucos atletas que passavam de 230kg, hoje já tem bastante atleta fazendo mais de 240kg. O powerlifiting também teve uma evolução grandiosa com Luciano Duarte, Mendinho, Eric e outros.

(PF) – Quais são seus planos para o futuro?
(Gilberto) - Bom o futuro só Deus sabe, mas quero fazer 300kg de supino se tudo der certo ainda esse ano.

     
     

* Clique na imagem, para ver no tamanho original!

Voltar